NR32 - Mitos e Verdades, um desafio para a saúde

06/03/2014
A Norma Regulamentadora 32, ou simplesmente NR-32, representa uma grande conquista para os trabalhadores que atuam em estabelecimentos de saúde em todo o país. 
Trata-se de uma legislação específica criada para garantir condições ideais de segurança, proteção e preservação da saúde no trabalho em serviços de saúde. 
Publicada em 11 de novembro de 2005, a NR-32 protege trabalhadores que se expõem a riscos físicos, biológicos, químicos e a radiações ionizantes, incluindo profissionais das áreas de ensino e pesquisa e os que cuidam da limpeza e conservação do ambiente e da manutenção de máquinas e equipamentos.

Para cada situação de risco, a Norma recomenda a adoção de medidas preventivas e a capacitação para o trabalho seguro.
No entanto, ainda são alarmantes os dados que evidenciam a não adoção efetiva de medidas de segurança no trabalho e a ocorrência de acidentes de trabalho na área.
Hoje, o setor da Saúde ocupa o primeiro lugar no ranking de acidentes de trabalho, uma prova de que a existência da NR-32, por si só, não basta. 

É preciso buscar a implantação efetiva desta NR, conscientizando trabalhadores e empregadores, discutindo e difundindo todos os aspectos que envolvem a Norma.
Pensando nisso, a Rede Sesc-Senac de Teleconferência apresentou o programa NR-32, mitos e verdades: um desafio para a saúde, no dia 12 de setembro de 2013.
O tema foi abordado sob diversos pontos de vista, contando com a participação de representantes dos trabalhadores, empregadores e do Governo. 
Os palestrantes: Antônio Carlos Ribeiro Filho, coordenador da Comissão Tripartite Permanente Nacional da NR-32 (CTPN); Maria Nelcy Oliveira da Costa, presidente do Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos de Serviços de Saúde de Pouso Alegre/MG e Luís Sérgio Soares Mamari, representante da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) e coordenador da Bancada Patronal na CTPN. 

O programa é dividido em dois blocos: o primeiro tem formato de entrevista e abre espaço também para depoimentos de membros da CTPN e do quadro "Povo Fala", revelando dúvidas de profissionais do setor da Saúde; no segundo, os participantes respondem às perguntas dos telespectadores. 
A mediação foi feita pelo jornalista Sidney Resende, com apoio de Gildete Amorim, intérprete da Língua Brasileira de Sinais (Libras).Com transmissão ao vivo, direto dos estúdios do Condomínio Sesc-Senac, no Rio de Janeiro, a teleconferência abrange mais de 400 salas e auditórios espalhados por todos os estados brasileiros.

Nenhum comentário